Pesquisa demonstra impacto milionário com a poluição em Taubaté

17/03/2021

ACONTECE, ALUNO, DESTAQUE, Engenharia, Pesquisa Científica

Entre os anos de 2016 e 2018, Taubaté acumulou um prejuízo estimado em R$ 68,5 milhões com hospitalizações, mortes, afastamentos por doenças, quedas na arrecadação de impostos e demais impactos à economia diretamente relacionados à poluição.

Este é o resultado de uma pesquisa realizada pelo Prof. Me. Ricardo Mendrot, coordenador do curso de Engenharia de Produção Mecânica da Universidade de Taubaté (UNITAU). As principais conclusões do estudo serão apresentadas na próxima quinta-feira, dia 18 de março, na 29ª Oficina da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG). A oficina “Análise de impactos da poluição do ar na saúde humana: estudo no município de Taubaté/SP” terá transmissão pelo aplicativo zoom, a partir das 18h.

Para chegar à cifra milionária, o pesquisador fez o cruzamento de uma série de dados, entre eles, por exemplo, emissões diárias de poluentes (materiais particulados) de indústrias e veículos no município e internações e óbitos por doenças cardiovasculares. A esse levantamento foi agregado o indicador “valor de um ano de vida perdido”, na sigla em inglês voly (value of life year).

“Além do custo de internação e o próprio óbito, a pessoa deixa de contribuir, de movimentar a economia com o consumo e o pagamento de impostos”, afirma Mendrot.

Para o professor, esse pequeno recorte municipal serve como exemplo para um problema de ordem mundial. Em 2014, a Organização Mundial de Saúde já estimava em sete milhões o número de vidas perdidas anualmente devido à exposição a poluentes atmosféricos.

“Esse prejuízo não é imediato, está diluído ao longo da linha do tempo. Mas é importante para demonstrar a necessidade de algumas medidas urgentes, como o uso de combustíveis menos poluentes”, acrescenta o professor.

A programação das próximas oficinas promovidas pela PRPPG pode ser conferida aqui.

 

ACOM/UNITAU