Pandemia acelera evolução de processos de ensino

12/03/2021

Pós-graduação, Aluno, Destaque, EAD, Online

A pandemia do coronavírus impôs às instituições de ensino ajustes em suas estratégias de forma a acelerar mudanças que já vinham em curso, porém em um ritmo mais lento. Diante de um cenário de restrições de deslocamento e de distanciamento social, a adoção de ferramentas digitais e mudanças nas metodologias de ensino tornaram-se itens obrigatórios para o cotidiano de professores e alunos.

Essa realidade está incorporada na Universidade de Taubaté (UNITAU) com o Programa de Formação Continuada (Profoco), que existia desde 2015 e que ganhou, neste ano, sua versão digital. A Universidade também oferece cursos de pós-graduação destinados a quem tenha interesse em se especializar nessa área.

Na modalidade de Ensino a Distância (EAD), o curso ferramentas digitais para docentes tem início previsto para abril. As aulas serão realizadas de forma síncrona. “Antes da pandemia, existia uma dicotomia muito grande entre ensino presencial e EAD. Isso mudou. As atividades online atendem mais os alunos. Se o aluno perdeu uma aula, pode assistir o vídeo. Tem uma série de benefícios. Caminhamos para um modelo híbrido, em que apenas as aulas práticas serão presenciais”, afirma o coordenador do curso, Prof. Dr. Paulo Cesar Ribeiro Quintairos.

Segundo o professor, o papel da Universidade é aliar o uso acadêmico ao uso do cotidiano, preparando o aluno para as transformações sociais e tecnológicas, conforme suas motivações, desejos e necessidades. “As empresas já estão migrando para essas novas plataformas de trabalho. Descobriram a economia de tempo e de dinheiro com o uso das tecnologias. O aluno vai vivenciar em sua profissão o que ele aprendeu na Universidade”.

Com uma lousa digital, uma mesa digitalizadora e diversos aplicativos ao dispor para suas aulas, Paulo destaca os benefícios do emprego da tecnologia como aliada nos processos de ensino para o professor. “É um universo que o professor tem de explorar para deixar a aula mais enriquecedora. Mas ele precisa conhecer suas ferramentas. O objetivo da aula não é demonstrar a ferramenta e, sim, ensinar”.

A opinião de Paulo é partilhada pela Profa. Dra. Mariana Aranha de Souza, coordenadora do curso metodologias ativas de aprendizagem e ensino híbrido, também previsto para começar no próximo mês. “Trabalhamos isso no Profoco com os professores. As metodologias não são um fim em si mesmas. Entendo que o professor deva escolher o melhor recurso e formatar a sua trilha de aprendizagem em um planejamento de cinco ou seis meses”, diz a professora.

Para Mariana, esta é uma realidade sem volta. “São novas formas de agir, novas formas de ensino. Ainda que volte o ensino presencial, muita coisa vai mudar.

Apesar dos avanços, Mariana avalia que ainda existe um longo caminho a ser percorrido para a democratização do uso dessas tecnologias em nível nacional. “Temos a condição social e econômica. O acesso ainda é um problema, a posse do material. Temos famílias com apenas um celular e nenhum computador”.

A UNITAU busca o constante aprimoramento para a oferta de cursos em sintonia com as demandas de seu público. Neste ano, são oferecidas nove novas opções. Os cursos de pós-graduação da UNITAU abrangem especialização, mestrado e doutorado, também na modalidade a distância.

 

ACOM/UNITAU