Projetos de extensão da UNITAU ensinam primeiros socorros para auxiliares da rede municipal de ensino

12/07/2022

Extensão, Ecocidadania e Saúde, Saúde Integrativa, Primeiros socorros, Treinamento, Biologia, Enfermagem

Auxiliares escolares da rede pública municipal de ensino de Taubaté receberam um treinamento de primeiros socorros ministrado por alunos dos cursos de Enfermagem e de Biologia da Universidade de Taubaté (UNITAU). Nos dias 7 e 8 de julho, os estudantes demonstraram procedimentos iniciais para diversas situações de emergência.

No dia a dia escolar, pequenos acidentes com crianças, como engasgos, quedas e cortes, exigem conhecimento prévio e atenção especial dos responsáveis presentes nas salas de aula. Por isso, a coordenação da Fundação Caixa Beneficente (Funcabes) da UNITAU, que mantém convênio com a Prefeitura de Taubaté para a contratação de profissionais da educação para as escolas municipais, solicitou a capacitação.

“Com criança, a gente corre o risco. Eles correm riscos, e a gente está ali para oferecer os primeiros socorros”, pontua Paloma de Almeida Lemes, auxiliar escolar da EMEF Prof. Ernani Giannico. Antes da instrução, ela encarou situações com alunos para as quais não estava preparada. “Eu acabei ajudando de supetão, porque não tinha esse treinamento”, relembra.

A atividade foi conduzida por alunos dos projetos Saúde Integrativa e Ecocidadania e Saúde, para treinar os profissionais para atendimento emergencial, enquanto a criança aguarda socorro. “O intuito é alertar e prevenir acidentes que conseguimos prevenir”, ressalta Flora Borges, estudante do 6º semestre de Enfermagem e membro do Saúde Integrativa. Segundo ela, sem essa instrução, o profissional corre o risco de prejudicar o estado da criança.

Entre as situações de emergência, os auxiliares foram orientados em relação às picadas de animais peçonhentos, como aranhas ou escorpiões. De acordo com o aluno do 7º semestre de Biologia e membro do Saúde Integrativa Gabriel Domiciano, o ideal é não mexer na picada e procurar ajuda especializada. “Pode dar uma infecção, um problema de pele. A criança ficar se coçando pode piorar, espalhar o veneno”, alerta.

Os dois projetos fazem parte do pilar de extensão da UNITAU. O Ecocidadania e Saúde ensina nas escolas as práticas de higiene pessoal e do ambiente relacionadas à saúde, além dos cuidados com animais peçonhentos e a importância da vacinação. Já o Saúde Integrativa aplica técnicas terapêuticas para melhorar aspectos como a ansiedade, a dificuldade para dormir e a agitação das crianças.

A premissa das práticas extensionistas é compartilhar com a comunidade os conhecimentos adquiridos e produzidos na Universidade. Primeiro, os alunos aprendem o conteúdo a ser transmitido. “Acredito que a experiência de fala para o público vai ajudá-los porque a gente também um papel de educador como Enfermeiro ou como Biólogo”, reforça a Profa. Rosa Maria Brás Roque, docente do curso de Enfermagem e coordenadora do projeto Saúde Integrativa. Depois, repassam aos profissionais, para “que eles saibam fazer, pelo menos, o atendimento inicial enquanto o socorro é acionado. O socorro leva alguns minutos para chegar, então eles podem evitar que o quadro da criança se agrave ainda mais”, explica.

Para Karyna Vitorello, auxiliar escolar da EMEFM Professor José Ezequiel de Souza, o treinamento é imprescindível para momentos de emergência e imprevistos que podem acontecer na unidade escolar. “Me sinto mais segura para agir de forma imediata e evitar transtornos posteriores e para prevenir acidentes”, afirma.

 ACOM/UNITAU