Obras literárias podem colaborar para inclusão e representação de grupos minoritários (Foto: Eduardo Loreno/ACOM UNITAU)

Representação literária e inclusão social: uma jornada para a diversidade e a transformação

Link curto: https://unitau.me/4cBQ8Fl

26/06/2024 10h57 ⋅ Atualizada em 26/06/2024 14h10

Vestibular de Inverno 2024, Literatura, Licenciatura, Letras

 

Pensar novas formas de ter representação literária é um dos meios para garantir a inclusão social, tendo em vista os diversos grupos minoritários existentes. Nos últimos anos, a maneira de se estudar literatura tem mudado e se tornado mais inclusiva, promovendo um ambiente de produção cultural mais diverso e com possibilidades para a colaboração de diferentes grupos.

A Profa. Ma. Thais Travassos, da Universidade de Taubaté (UNITAU), docente com atuação em literatura e sociedade, afirma que a literatura pode contribuir e muito para a inclusão social de populações marginalizadas, como pessoas com deficiência, LGBTQIA+ e afrodescendentes. “[Na literatura] diferentes grupos minoritários podem encontrar espaço para exporem as suas vivências e as suas particularidades, assim, há possibilidade de identificação e representatividade, o que é muito potente, permitindo a reflexão sobre as diferentes desigualdades e transformando a literatura em uma ferramenta de luta por direitos”.  

A professora completa ainda dizendo que a escolha de livros e autores que abordam a diversidade podem impactar a formação acadêmica dos universitários. “Contemplar diferentes percepções enriquece a aprendizagem, e se a literatura é um espaço de reconhecimento e de identificação, quanto mais identificação com diferentes pontos de vista, melhor”, afirma. 

Para a coordenadora do curso de Letras da Universidade, Profa. Dra. Adriana Cintra de Carvalho Pinto, o debate sobre temáticas sociais engrandecem o desenvolvimento acadêmico. “A discussão sobre os temas sociais, como preconceito, desigualdade, injustiça, entre outros, nos ajuda a articular a teoria à prática. Além disso, antes de formar o profissional, a universidade assim como todo meio educacional, quer formar pessoas inteligentes e sensíveis, capazes de ver, interpretar e avaliar o mundo e, então, capaz de atuar para transformá-lo”.

Com o objetivo de aprofundar ainda mais essa discussão, as docentes fazem algumas indicações:

Olhos D'Água, da linguista e escritora Conceição Evaristo, é um livro de contos que permite uma imersão no universo da autora, focado no seu interesse na população afro-brasileira abordando a pobreza e a violência urbana que a acometem.

Um Exu em Nova York, uma produção da autora Cidinha da Silva, é um livro de contos bem curtinhos, onde a escritora apresenta uma perspectiva contemporânea e ficcional do cotidiano, sobre temas como política, crise ética, racismo religioso, perda generalizada de direitos (principalmente por parte das mulheres), negros e grupos LGBT, a partir de um ponto de vista diferente, usando bases religiosas do candomblé e da umbanda. 

O Avesso da Pele, o livro é um romance do escritor Jefferson Tenório sobre identidade e as complexas relações raciais, sobre violência e negritude, sendo uma obra precisa no panorama da nova ficção literária brasileira e vencedor do prêmio Jabuti 2021, o mais tradicional prêmio literário do Brasil, concedido pela Câmara Brasileira do Livro.

Também guardamos pedras aqui, obra da escritora de poemas, Luisa Romão, é um livro que desconstrói personagens dos primeiros livros da literatura, como Odisseia e Ilíada, analisando como essas obras são violentas e de como a nossa construção social e literária também parte dessa violência.

Atuação dos profissionais de Letras para a inclusão social

O campus de Humanidades da UNITAU vem promovendo discussões sobre temas sociais em diversos níveis e maneiras. A finalidade é formar profissionais na área que possam contribuir, por meio do ensino da língua e da literatura, para a inclusão e a diversidade.

“O profissional de Letras pode atuar em diversos espaços, como escolas, universidades, editoras, mídias digitais, entre outros, utilizando seu conhecimento para promover a percepção sobre a diversidade linguística e ampliar o repertório da comunidade, de modo a desenvolver leitores críticos”, ressalta a Profa. Dra. Adriana.

Vestibular de Inverno

O curso de Pedagogia UNITAU está com inscrições abertas para o Vestibular de Inverno 2024. A prova online pode ser feita gratuitamente, a qualquer horas, 7 dias da semana. Para mais informações acesse unitau.br/vestibular

Eduardo Loreno
ACOM/UNITAU