Alunos da Fábula - Berçário e Educação Infantil recebem o prêmio na categoria Enic Baby. Foto: Leonardo Oliveira - ACOM/UNITAU

Premiação do Cicted estimula acesso à formação para ciência

Link curto: https://unitau.me/3uDfuSz

29/11/2023 15h05

Pesquisa, PRPPG, ciência, CICTED

 

“A ciência é produzida por pessoas e, para isso, precisamos dar oportunidade de acesso à formação para ciência em todas as fases da vida escolar. Essa é uma das muitas missões do Cicted: aproximar os diversos públicos da produção científica, tornando-a acessível, tanto para aqueles que escolhem atuar como pesquisadores, quanto para a sociedade em geral, para que as pessoas e as instituições percebam e identifiquem como a ciência está presente nas nossas vidas e no nosso cotidiano.”

Foi com destaque para a importância do acesso à formação para ciência, que a Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade de Taubaté (UNITAU), Profa. Dra. Monica Franchi Carniello, abriu a cerimônia de premiação da 12ª edição do Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento (Cicted), realizado entre os dias 18 e 20 de outubro deste ano pela Universidade.

Também com o foco nessa missão, de formação para a ciência e de aproximação dos diferentes públicos da produção científica, as categorias do Cicted contemplaram desde a educação básica, até professores e alunos de cursos de pós-graduação.

Daniele Ronconi, mãe do pequeno Fábio, aluno da Fábula – Berçário e Educação Infantil, estava orgulhosa do filho, que é integrante do grupo que conquistou o primeiro lugar na categoria ENIC Baby com o Projeto “Que bicho é esse? – Um estudo lúdico e construtivo sobre os animais”.

“É muito importante a escola ensinar a produzir pesquisa e eles aprenderem desde cedo. O Fábio chegava em casa contando as coisas que aprendia durante o desenvolvimento do trabalho. Ele sempre foi muito interessado e gosta muito de animais, mas, com esse projeto, ele aprendeu muito mais”, afirma a mamãe Daniele.

Além dos alunos da própria Universidade de Taubaté e do Colégio UNITAU, a Escola de Aplicação Doutor Alfredo José Balbi, o Cicted é aberto a outras instituições de ensino públicas e privadas, o que possibilita a aproximação da Universidade da comunidade e dos diversos públicos da produção científica.

Como é o caso dos alunos da EMEF Vereador Pedro Grandchamp, que ficou com o primeiro lugar na categoria ENIC Kids com o trabalho “Compostagem: um novo olhar para os resíduos orgânicos”. A vice-diretora da escola, Luciana Eva Gomes, conta que o projeto foi desenvolvido por meio de uma parceria com universitários e com a Profa. Dra. Vania Maria de Araújo Giaretta, do Departamento de Enfermagem e Nutrição da UNITAU, e permitiu, além do entendimento sobre a importância da reciclagem, da compostagem e do reaproveitamento de materiais orgânicos, o acesso à produção científica.

“Tanto para eles [alunos] quanto para mim, foi uma sensação e um aprendizado gigante, porque nunca estive num trabalho como esse. Para os alunos, é o início da oportunidade de um romper na área acadêmica. Nós somos de uma escola pública, muitas crianças não têm condições de estar numa escola particular, mas agora elas se veem com condições de produzir ciência, de aplicar esse trabalho na casa deles, e serem premiados por isso é muito especial”, afirma a vice-diretora.

Fazer ciência exige mais que curiosidade e desejo de propor soluções para os problemas que fazem parte do dia a dia da sociedade. No caso dos alunos Tatiana Larissa Ferreira Tosetto e Leonardo Lourenço da Silva, do curso de Direito da UNITAU, foi preciso também coragem para mergulhar em um tema novo e ainda pouco discutido pela academia: o acesso à justiça. Com o trabalho “Legal Design como ferramenta de ampliação do acesso à justiça”, a dupla, orientada pela Profa. Ma. Elaine Cristina Rodrigues de Moura, conquistou o primeiro lugar no ENIC Graduação Presencial.

“Falar de acesso à justiça é muito importante. O tema ‘Legal Design’ é supernovo, pouco estudado. Então, o nosso trabalho veio justamente para contribuir com a academia, para que a gente consiga estudar mais sobre esse assunto. Ter esse reconhecimento é o sinal de que estamos no caminho certo. E produzir ciência é isso, romper barreiras, quebrar paradigmas. É assim que se faz ciência e, no Direito, a gente tem que estar aberto para isso, quebrar os padrões e ir em busca da melhora dos nossos serviços, da melhora do acesso à justiça, da eficiência do serviço jurídico. Eu acho que esse é o propósito do que a gente faz aqui, como pesquisa”, afirma Leonardo.

        
Os primeiros colocados do ENIC Graduação Presencial O Prof. Dr. Marcos Roberto Furlan, 1º lugar no Seduni

Congresso incentiva a Inovação Pedagógica e estimula a interdisciplinaridade

O Congresso de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento é uma vitrine não só para os alunos, mas também para os professores. Além de atuarem como orientadores de projetos desenvolvidos pelos estudantes, os docentes têm categorias destinadas especificamente a eles, como o Seminário de Prática Educativas (SEMPRE) e o Seminário de Docência Universitária (Seduni), que abrem espaço para a apresentação de projetos e práticas que visam a melhoria da qualidade do ensino.

O Prof. Dr. Marcos Roberto Furlan, que atua nas áreas da Agronomia e Botânica, foi o primeiro colocado no Seduni com o projeto “Metodologia ativa e outras metodologias aplicadas na Bioestatística ministrada para a Medicina”. Ele explica que algumas disciplinas do curso da área da Saúde não têm uma ligação direta com a atuação do médico ou da médica. Por isso, é preciso proporcionar atividades para que os universitários apliquem, na prática, o conhecimento, mesmo que esse conhecimento não faça parte do dia a dia deles.

“No meu caso, é a Bioestatística. Muitos vão usa-la para ler e interpretar artigos científicos, mas a maioria não vai aplicar a disciplina, apesar de ela ser essencial para a construção da análise crítica de informações que eles irão receber. Então, pensando nisso, criei uma maneira de motivar os alunos. Elaborei algumas metodologias ativas, que não têm um padrão de aula comum, algumas gameficações e atividades relacionadas às áreas deles. Por exemplo, comparar pressões arteriais dos alunos em movimento e em repouso”, conta o professor que, a cada semestre, pretende criar outras atividades para mostrar a aplicação prática de disciplinas, aparentemente, não diretamente ligadas ao exercício da Medicina.

Questionado sobre a importância da inovação pedagógica na docência, o professor afirma que o profissional do ensino hoje precisa buscar inúmeras alternativas para efetivar a aprendizagem, uma vez o perfil do acadêmico mudou bastante nos últimos anos.

“Ele [o aluno] é mais imediatista, tem que ser motivado para focar numa atividade, por exemplo, por meio de uma competição, uma coisa que o deixe mais concentrado. Hoje, em função das redes sociais, o acadêmico tem um pouco de dificuldade de se concentrar, então, a gente usa a tecnologia para ajudar nesse processo”, afirma o professor.

Além de vencer a categoria Seduni, o Prof. Dr. Marcos Roberto Furlan foi premiado em primeiro lugar no Seminário de Extensão, com o projeto “Horta na Escola EMIEF Dr. Avedis Victor Nahas”, de Taubaté; e em segundo lugar no Congresso Nacional de Urologia (CNAU), ao lado do Vice-reitor, Prof.Dr. Luiz Carlos Maciel, com o trabalho “Intervenção do ciclo circadiano no trabalho prejudica a função erétil?”.

“Como o corpo docente da UNITAU é muito unido, o Cicted proporciona que você escreva resumos em parceria com outros professores, de outras áreas. Eu, por exemplo, publiquei resumos com a Literatura, e a minha área é a Agronômica e a Botânica, publiquei trabalhos com a Medicina, com a Nutrição. Há vários assuntos e disciplinas que a gente consegue relacionar com outros professores. Isso é muito legal para a gente demonstrar o que é uma Universidade”, conclui Furlan.

Confira as fotos da premiação aqui!

ACOM/UNITAU