Bolsistas do CDPH trabalham com acervo de Amácio Mazzaropi | Foto: Sara Rossi/Museu Mazzaropi

Parceria entre UNITAU e Instituto Mazzaropi resgata cultura caipira no Vale do Paraíba

08/12/2022

UNITAU, Comunidade, Extensão, Cultura, História, Acervo, Parceria, Instituto Mazzaropi, CDPH

Conhecer as próprias origens molda a identidade cultural de uma comunidade. Valores e tradições foram formulados no passado, de acordo com o contexto histórico e social. Para mantê-los ou transformá-los, é necessário conhecer a raiz de cada um deles.

Parte desta história no Vale do Paraíba foi retratada e construída pelo cineasta Amácio Mazzaropi (1912-1981), que marcou o cenário da comédia brasileira com a representação da cultura caipira em mais de 30 filmes lançados no século XX. Para preservar e divulgar este legado cultural deixado pelas obras, o Centro de Documentação e Pesquisa Histórica (CDPH) da Universidade de Taubaté (UNITAU) e o Instituto Mazzaropi se uniram em uma parceria que conecta dois grandes acervos do artista.

A UNITAU possui um conjunto de fotos, composto por álbuns divididos pelos filmes do cineasta, cedido pelo Museu Mazzaropi entre o fim da década de 1980 e o início de 1990. “Temos cerca de 15 filmes, compostos por cerca de 3 mil fotos. Todo esse acervo foi subdividido, acondicionado em um papel especial, porque a acomodação de acervo iconográfico tem um tratamento específico. Estas fotos estão organizadas em caixas também específicas e apropriadas para a conservação deste acervo”, explica o Prof. Dr. Mauro Castilho Gonçalves, coordenador do CDPH. Além das fotos, o Centro havia recebido uma coleção de rolos de filme, que foi encaminhada à Cinemateca Brasileira, em São Paulo, onde continua até hoje.

As referências deixadas por Mazzaropi têm impacto em áreas diversas da arte, da história e da cultura. “A gente nunca consegue imaginar o universo que o Mazzaropi pode ter influenciado na história do país. Alguns anos atrás, os irmãos Campana estavam fazendo um programa sobre arquitetura brasileira e, quando indagados de onde vinha a inspiração deles para o design - eles tinham trabalhos muito legais, criativos e conhecidos no mundo inteiro -, disseram que a inspiração vinha do Mazzaropi”, conta Claudio Marques, curador do Museu Mazzaropi.

A união dos acervos permite a promoção de ações culturais voltadas à comunidade, como cursos, palestras e seminários. “Eventos como esses são essenciais para a divulgação e a preservação da cultura local, aproximando a população da história do cineasta, que foi um dos pioneiros da representação caipira no cinema. Hoje, nós conhecemos o Jeca que foi retratado por Mazzaropi a partir de 1959 e que marcou a cultura caipira da região do Vale do Paraíba”, ressalta a Profa. Dra. Letícia Maria Pinto da Costa, Pró-reitora de Extensão da UNITAU. “Manter vivo o legado da obra dele é muito valioso, principalmente para nós, no Vale”, complementa.

A curadoria desses eventos terá o auxílio de estudantes da Universidade de Taubaté, de cursos como Arquitetura, Comunicação Social, História, Letras e Pedagogia, contribuindo para a formação cultural, além da comunidade, dos futuros profissionais da região. “Essa troca é indispensável para a formação dos estudantes e professores e também para o desenvolvimento social e intelectual da comunidade”, pontua a Profa. Dra. Nara Fortes, reitora da UNITAU.

ACOM/UNITAU