Em parceria com pesquisadora alemã, UNITAU lança dossiê sobre a obra de Monteiro Lobato

14/04/2022

Mestrado, Literatura, Monteiro Lobato, Pesquisa

Natural de Taubaté, o escritor Monteiro Lobato foi responsável por obras como Sítio do Picapau Amarelo, As reinações de Narizinho e Urupês. É conhecido popularmente como pai da literatura infantil brasileira. Em homenagem ao autor, a Lei nº 10.402, de 8 de janeiro de 2002, instituiu o Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado em 18 de abril, data de aniversário do escritor.

O autor é constantemente foco de estudos em diversas áreas. Monteiro Lobato marca a formação escolar infantil, como afirma a especialista Prof. Dra. Rachel Duarte Abdala, docente da Universidade de Taubaté (UNITAU). “A obra infantil do Monteiro Lobato tem uma importância muito grande porque formou gerações de brasileiros. Ela tem um impacto na formação da mentalidade brasileira muito grande e que foi ampliada pela tradução em outras mídias”.

Na UNITAU, o legado do escritor é objeto de pesquisa do mestrado em Desenvolvimento Humano (MDH). A edição de abril da Revista Ciências Humanas, periódico do mestrado, inclui o dossiê “Vozes Lobatianas em Diálogo: possibilidades e desafios de estudar Monteiro Lobato”. O documento contém um conjunto de textos e de pesquisas que trabalham aspectos e temáticas a respeito das obras e das ações de Monteiro Lobato, com perspectivas contemporâneas, de caráter interdisciplinar, teórico e empírico.

Trabalhando a interdisciplinaridade do autor, o dossiê começou a ser organizado em dezembro de 2021, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e com a pesquisadora Profa. Dra. Vanete Santana-Dezmann, da universidade alemã Johannes Gutenberg.

A professora Rachel, que também é coordenadora adjunta do MDH, explica que a perspectiva interdisciplinar oferecida pela UNITAU possibilita parcerias com outras instituições. “Essa perspectiva ampla engloba não só múltiplas áreas do conhecimento que a Universidade tem, mas também aciona os três pilares definidos constitucionalmente, que são a pesquisa, o ensino e a extensão universitária”.

Além de autor infantil, Monteiro Lobato foi tradutor, roteirista, crítico de arte e jornalista. “Monteiro Lobato foi muito plural, ele foi múltiplo e muito amplo em sua produção, no seu trabalho, nas suas ações e nas suas atividades”, analisa a docente. A abordagem dessa amplitude do trabalho do escritor é a proposta do dossiê. “Demos um título que dá conta dessa pluralidade das ações do Monteiro Lobato e da sua produção. Nós tínhamos expectativas que viessem textos multidisciplinares e recebemos textos discutindo desde a botânica na obra do Monteiro Lobato até questões de Monteiro Lobato nos Estados Unidos”.

O escritor também é tema de parte dos debates comemorativos do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, promovidos pelo Departamento de Arquitetura da UNITAU, que discutem a contribuição do escritor taubateano para o pré-modernismo. “São muitas possibilidades de debates. É sempre uma oportunidade para refletir e repensar a importância das obras e o impacto das ações dele no Brasil”, finaliza a coordenadora.

Ariane Galhardo

ACOM/UNITAU