A importância da conscientização global na luta contra o câncer

02/02/2022

Aluno, Medicina, Prevenção, Cuidados, Ligas acadêmicas, Saúde, UNITAU

O Dia mundial do câncer, em 4 de fevereiro, é um movimento liderado pela União internacional para o controle do câncer (sigla em inglês UICC) e tem o objetivo de relembrar o papel da conscientização global para o combate da doença. Criada em 2000, a data é uma constante oportunidade de ouvir a luta de muitas pessoas e auxiliá-las, de alguma forma, com informações relevantes para a cura.

Segundo o Instituto nacional de câncer (INCA), o Brasil deverá registrar 625 mil novos casos para cada ano do triênio 2020/2022, sendo o câncer de pele não melanoma, tipo que ocorre principalmente nas áreas mais expostas ao sol, o mais incidente no país e com 177 mil novos casos estimados.

A previsão é de que os casos mais frequentes na população sejam os canceres de mama e de próstata, cerca de 66 mil casos, cólon e reto, por volta de 41 mil, pulmão, em torno de 30 mil e cerca de 21 mil casos de câncer de estômago. Entre os fatores de risco está a obesidade, que traz grandes chances de desenvolvimento de 11 dos 19 tipos mais frequentes na população brasileira. Além disso, comportamentos não saudáveis, como, por exemplo, o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, o sedentarismo e uma dieta pobre em vegetais também aumentam o risco.

O Prof. Dr. Flávio Luiz Lima Salgado, médico e docente no curso de Medicina na Universidade de Taubaté (UNITAU), pontua que pacientes oncológicos enfrentam desafios diários e que datas como essa fortalecem a importância da descoberta nas fases iniciais da doença. “Quem luta contra o câncer luta todo dia e é uma luta sem tréguas. Acredito que a data é importante porque são revistas, sites e pacientes prestando depoimentos que sempre atingem alguém. Tudo aquilo que puder alertar sobre a doença é interessante”, diz. “Nós temos de fazer com que as pessoas fiquem atentas aos sinais, aos sintomas, às manchas e aos caroços, para que, com o aparecimento de algo, ela vá buscar um médico”, conclui.

Com o objetivo de oferecer aos estudantes do curso de Medicina da UNITAU a oportunidade de contato com a população e, ao mesmo tempo, proporcionar que informações sobre prevenção e conscientização cheguem à comunidade de todo o Vale do Paraíba, o professor fundou, em 1997, a Liga acadêmica de oncologia na Universidade.

Para a estudante do 8° período do curso de Medicina e presidente da liga, Alana Fonseca Negrini de Oliveira, o trabalho social auxilia não somente os alunos, que se desenvolvem na profissão, mas também aproximam a população de cuidados médicos. “Pelo menos duas vezes por mês, tentamos organizar dias de campanhas de prevenção ao câncer com as prefeituras da região. Com isso, agilizamos as filas dos postinhos, porque fazemos o encaminhamento para exames e assim adiantamos o processo”.

A futura médica também reforça que conversar sobre a doença é um passo para que as pessoas entendam os sinais emitidos pelo próprio corpo. “Isso não é muito divulgado, porque parece que é uma área que ninguém quer comentar, é um tabu. Por isso, acho importante ter esse dia, para podermos falar sobre isso e para que possamos dizer ‘não é porque você tem câncer que sua vida acabou ali”, finaliza.

A campanha mundial denominada “World Cancer Day” realiza, periodicamente, ações que visam à necessidade de tratar o assunto de uma forma mais ampla e acessível. Neste ano, o tema gira em torno da hashtag #PorCuidadosMaisJustos, para que as atenções sejam cada vez mais igualitárias, pois, atualmente, muitos pacientes não têm acesso a uma gama completa de serviços essenciais de saúde.

O coordenador da Liga acadêmica de oncologia da UNITAU concorda que esse seja um tema relevante para instigar novas políticas públicas de saúde, pois essa é uma doença que não deve ser tratada isoladamente, mas também com soluções para o pós-diagnóstico. “Nós temos de oferecer para o nosso paciente sempre o melhor tratamento, agilizar o diagnóstico para que, a partir dele, as pessoas possam chegar rapidamente às instituições responsáveis, para o tratamento adequado”, ressalta o Prof. Dr. Flávio.

Ao longo do ano, outras datas também reforçam a necessidade da prevenção ao câncer. Em abril, o Dia mundial do combate ao câncer é celebrado logo no início, no dia 8. Em outubro e em novembro, duas datas já conhecidas assumem os trendings topics nas redes sociais, com depoimentos, fotos e vídeos de pessoas que superaram o câncer de mama e de próstata.

Aumentar a conscientização mundial e melhorar a educação são duas grandes ferramentas para evitar novos casos de mortes por uma doença que, se descoberta em fases iniciais, se tiver tratamentos adequados e cuidados oncológicos igualitários, tem cura.

Ariane Galhardo

ACOM/UNITAU