Estudantes acompanham lançamento de cápsula do tempo em São Luiz do Paraitinga

03/01/2022

Extensão, Oportunidade, História, Projeto de Extensão, Aluno

A data já está marcada. O dia 18 de dezembro de 2046 foi escolhido para a abertura de uma cápsula do tempo, enterrada em 12 de dezembro de 2021 pelos alunos da escola estadual Monsenhor Ignácio Gioia (MIG) em São Luiz do Paraitinga. Oito estudantes do curso de História da Universidade de Taubaté (UNITAU) acompanharam a cerimônia, juntamente com a Profa. Dra. Rachel Duarte Abdala, responsável pelo projeto de extensão “A cultura que Vale: conhecendo e preservando a história, a memória e o patrimônio do Vale do Paraíba”.

“Como todo trabalho de extensão universitária, é muito importante estar no lugar presencialmente, isso é essencial para a formação profissional dos alunos, principalmente porque serão futuros professores”, explica a professora.

O dia da cerimônia de lançamento da cápsula começou pela manhã com uma banca de Trabalho de conclusão de curso (TCC) na escola MIG. Logo após, foi realizada a cerimônia. Os estudantes do terceiro ano do ensino médio leram textos de sua autoria, relatando o motivo pelo qual cada item foi escolhido para ser inserido na cápsula.

Pontualmente às 11h do dia 12 de dezembro, a cápsula foi aberta para a colocação dos objetos. Fotos dos estudantes, um livro escolar, uma camisa da escola, um TCC sobre a pandemia, uma máscara e uma revista de pesquisa foram os elementos selecionados pelos alunos.

O Prof. Me. Daniel Messias dos Santos, responsável pela classe, explica que a seleção dos itens foi uma decisão coletiva e que os alunos puderam refletir sobre o momento histórico que vivem. Um dos objetivos do projeto é fazer lembrar dos desafios vivenciados e superados durante a pandemia da Covid-19, para a cidade, o país e para os alunos.

“A cápsula tem múltiplos valores. No momento em que se reflete sobre o que será colocado, ocorre uma leitura histórica e se elege aquilo que é muito importante para os outros saberem no futuro. E quando ela é encontrada, o passado e o presente se alcançam”, comenta Daniel.

Para finalizar a manhã, os futuros historiadores da UNITAU realizaram um tour guiado na Igreja Matriz de São Luiz do Paraitinga. Em 2010, depois da enchente que quase destruiu a cidade e provocou o desmoronamento da igreja, foi encontrada ali uma cápsula do tempo com itens do final da década de 1920. A Profa. Raquel explica que a experiência é única para a cidade e para os alunos, “Nós estudamos com eles a história das cápsulas e agora estamos enterrando a próxima, eles são muito comprometidos com o projeto e isso vai se reverter na formação deles”, diz.

Do grupo de alunos, alguns voluntários estiveram pela primeira vez na cidade. Um deles, Raoní Ferreira dos Santos, explica o quanto vivenciar presencialmente o que aprendeu em sala foi um diferencial em sua vida acadêmica. “A cápsula é um registro inalterado de como era o modo de vida, é um pedacinho daquele passado. Vi com meus próprios olhos toda a informação teórica que adquiri durante as aulas”, comenta o estudante do segundo semestre do primeiro ano de História.

Com o objetivo de promover a valorização dos aspectos culturais da comunidade, segundo a professora, os próximos passos do projeto, que está sendo desenvolvido há um ano, serão unir todas as informações em um livro.

Linda Uberti

ACOM/UNITAU