Projeto Rondon 2022 leva estudantes em expedição para trabalhos sociais

11/11/2021

Projeto Rondon, Aluno, Comunidade, Oportunidade, Professor

Você conhece o projeto Rondon?

Nessa ação os universitários vivenciam o dia a dia trabalhos de cidadania em pequenas cidades com projetos sociais por várias regiões do Brasil. Em 2022, a UNITAU volta ao projeto e as cidades visitadas serão Grão Mogol (MG) e Calçoene (AP) com os projetos “Rondon das Gerais” e “Amapá mais forte”.

Vinte (20) alunos da Universidade participarão atuando em áreas que vão desde a comunicação até a área da saúde. Uma experiência repleta de aventuras para quem se identifica com ações comunitárias e busca uma mudança positiva no mundo.

Ao todo, foram contabilizadas 111 inscrições, mas apenas 20 alunos foram selecionados. Uma delas é a estudante de Educação Física, Julia Foroni. Ela comenta que um dos fatores que a motivou a participar foi sua paixão pela educação: ''Vejo o Projeto como uma oportunidade única de encontrar a minha melhor versão como pessoa, cidadã, e principalmente, como futura professora.’’, comenta a estudante. Julia pretende criar uma personagem própria durante o projeto Rondon 2020, a “Rondoninha” para atividades com crianças e idosos locais, oficinas de teatro, aulas de expressão corporal e até começou aprender a tocar Ukulele para uma apresentação musical. Relata também que o projeto será uma grande oportunidade para transmitir aprendizados e adquirir conhecimentos, onde os estudantes junto com a comunidade poderão trocar experiências de vida incríveis com alegria e dedicação.

A Universidade de Taubaté, pensando desde sempre na comunidade, contribui com esses e outros projetos que incentivam o contato dos alunos da instituição com causas humanitárias e o Projeto Rondon traz essa grande oportunidade aos estudantes. Fique de olho no site e acompanhe mais notícias sobre o projeto Rondon nos próximos meses  e a grande aventura que será vivenciar essa expedição. 

Compromisso com o ensino e com a comunidade. Universidade do futuro, UNITAU.

Lethícia Portes

ACOM/UNITAU