Professora explica o que faz um bom pesquisador

14/10/2021

Pesquisador, Pesquisa Científica, Perfil, CICTED, UNITAU

Capacidade de observação, investigação, espírito crítico e perseverança são algumas das características necessárias a um pesquisador. Em outubro, quando é comemorado o mês nacional da Ciência, Tecnologia e Inovações, trazemos relatos sobre essas e outras qualidades de quem trilha o caminho da iniciação científica.

A Profa. Dra. Sheila Cavalca Cortelli, pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade de Taubaté (UNITAU), detalha o perfil de quem quer se tornar um bom pesquisador. “Ele observa, investiga, busca, não se acomoda, ajuda, critica, persevera, não desanima, compartilha e trabalha incansavelmente a fim de transformar a realidade. Sempre para melhor! Reconhece o papel do outro e a importância da verdade”.

Para a pró-reitora, que também é pesquisadora, o talento natural deste profissional sempre pode ser aprimorado por meio do aprendizado contínuo. “Como vários outros interesses, pode haver um talento natural, mas tudo pode se aprender e se aprimorar. Não inveje aquilo que você venha a classificar no outro como sorte. Ao contrário, planeje-se e se dedique. Utilize seus pontos fortes e trabalhe para superar os mais fracos. Aproxime-se de profissionais que você admira! Procure nossos programas de iniciação científica e tecnológica!”.

Uma boa opção para quem quer saber mais a respeito do mundo da pesquisa é participar da décima edição do Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento (X Cicted). O congresso está inserido nas atividades de pesquisa, as palestras gravadas já estão disponíveis e a programação ao vivo ocorrerá nos dias 20, 21 e 22 de outubro. Essas atividades permitem que o pesquisador reflita sobre sua pesquisa e que verifique a aceitação pela sociedade. Além disso, os eventos científicos aproximam os pesquisadores da realidade, oferecendo a oportunidade de trocar ideias e experiências e de transferir conhecimento.

 

Linda Uberti

ACOM/UNITAU