Florestas colaboram com a melhoria da qualidade de vida

14/07/2021

Preservação, Destaque, Biologia, Ciências Biológicas, Meio Ambiente, UNITAU, Professor, Qualidade de vida, pesquisa

O Dia de proteção às florestas é comemorado, anualmente, em 17 de julho e tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da preservação. As florestas e os biomas abrigam diversas espécies da fauna e da flora, além de nos beneficiarem com a melhoria da qualidade de vida humana. Na cultura popular brasileira, a proteção das florestas é personificada pela figura mística do curupira. Esse espírito mágico habita as florestas e ajuda a protegê-las. Por esse motivo, 17 de julho também é considerado o Dia do curupira, o “protetor das florestas”.

“Quando nós pensamos na importância e nos benefícios das florestas, aqui no Brasil, principalmente, a Mata Atlântica e a Amazônia, estamos nos referindo a desde coisas básicas até a características de nível mundial. De maneira geral, o público costuma não receber muita informação, mas diversas espécies animais e vegetais contêm substâncias que podem ter interesses para a alimentação humana e para a fabricação de remédios. A riqueza é encontrada também nas proteínas, nos lipídeos, nas substâncias orgânicas que existem dentro de uma floresta e que podemos utilizar, por exemplo, para a cura de doenças gravíssimas”, comenta o Prof. Dr. Júlio Cesar Voltolini, docente no curso de Biologia na Universidade de Taubaté (UNITAU).

As florestas proporcionam para a humanidade os chamados serviços ecossistêmicos, que são diversos benefícios, como matéria-prima, regulação do clima, biodiversidade, turismo, entre outros. Elas cobrem 30% do planeta Terra, mas cerca de 80% de todos os seres vivos terrestres habitam esse ambiente. Atualmente, o grande problema enfrentado é a destruição e o desmatamento, que consiste na retirada da cobertura vegetal parcial ou total de um determinado lugar, e está relacionado a diversas causas, como a urbanização, a mineração, a expansão do agronegócio, e seus impactos são inúmeros.

Para o professor, a destruição desses habitats é considerada a principal causa de extinção das espécies do planeta, e isso diz respeito às florestas e aos biomas, que estão diminuindo aos poucos. “O que acontece com essa diminuição é que antes nós tínhamos áreas contínuas enormes e agora existem o que chamamos de fragmentação ou ilha de vegetação, que são pequenos pedaços divididos por ações humanas. Com isso, as espécies que ali existem estão isoladas geneticamente e são impedidas de se reproduzirem. Muitas delas ainda sofrem também com a invasão em estradas, fazendas, rodovias, que podem causar a morte dos animais. Portanto, o que nós temos é não só a diminuição de habitats, mas também a dizimação das espécies animais e vegetais”, ressalta.

Os cuidados que devemos tomar estão diretamente relacionados também ao nosso bem-estar e à qualidade de vida. As florestas contribuem para a manutenção e para o equilíbrio da temperatura, da umidade do ar e do regime de chuvas. Elas impedem que as temperaturas cheguem a níveis elevados e que aconteça um desequilíbrio. As áreas sem vegetação recebem grande incidência da luz solar, tornando o ambiente extremamente quente e seco. Já a vegetação forma uma camada de proteção que impede o excesso de calor e mantém a umidade em níveis altos.

“Existem coisas em diferentes escalas para frear o avanço do desmatamento, e a conscientização é a principal delas. A população deve cobrar para que os governos invistam em leis e fiscalizações contra essas atividades ilegais. Além disso, a educação sobre as florestas precisa ser mais frequente dentro das escolas, desde as atividades teóricas, até as práticas. Os alunos precisam vivenciar a experiência de estar dentro da floresta e conhecer a fauna e a flora brasileira, com atividades que destaquem a importância das matas”, destaca o professor.

Mas essa proteção deve começar também no dia a dia de cada um. Com simples atitudes podemos colaborar para a preservação da extensa fauna e flora brasileira e mundial. Confira algumas ações simples para adotar durante a rotina:

  • Preserve as árvores e as vegetações;
  • Reutilize, reaproveite e recicle tudo que for possível;
  • Reduza o consumo de água e de energia elétrica;
  • Opte pela compra de materiais orgânicos;
  • Não jogue lixo no meio ambiente;
  • Cuide bem dos animais.

Foto: Leonardo Oliveira

Liliane Carvalho
ACOM/UNITAU