Iniciativa de alunos do curso de Direito da UNITAU auxilia colegas na aprovação do exame da Ordem

08/06/2021

Acontece, Direito, Exame OAB, Aluno, Professor, Destaque, UNITAU

Anualmente, alunos do curso de Direito de diversas universidades no país realizam o exame da Ordem dos Advogados do Brasil, mais conhecida como OAB. Essa prova tem grande importância para os estudantes que estão na reta final do curso, pois, a partir da pontuação, pode-se obter um registro nos quadros da advocacia brasileira para, assim, poder exercer a função. A prova é composta de duas etapas e é conhecida por exigir uma grande quantidade de conteúdos aprofundados.  

Pensando nesse desafio, os alunos do Diretório Acadêmico (D.A.) do curso de Direito da Universidade de Taubaté (UNITAU) iniciaram, durante a pandemia, um projeto. Os universitários, juntamente com o Prof. Dr. Antonio Gilberto de Moura, disponibilizaram na plataforma EVA uma sala virtual com diversas questões de assuntos que geralmente são solicitadas no exame. No ambiente virtual, também são fornecidos dois simulados, o primeiro, com questões já cobradas em outros exames, e o segundo disponibilizado é uma construção feita pelo professor Antonio, orientador do projeto. 

“O objetivo da ação é justamente auxiliar os alunos nesse momento tão decisivo da carreira que é o exame da Ordem. Esse projeto visa dar para o aluno uma possibilidade completamente gratuita de ter acesso a esses materiais do exame da Ordem, tudo pela plataforma da Universidade. Nós já tínhamos feito algumas aulas de revisão, que foram um sucesso, enquanto ainda podíamos fazer os eventos presenciais. Mas, no início da pandemia, não conseguimos fazer até porque o exame da Ordem foi cancelado e reaberto diversas vezes. Mas neste ano decidimos que precisávamos fazer alguma coisa para ajudar os alunos, porque este momento está sendo difícil para todo mundo”, relata a presidente do Diretório Acadêmico, Laura Letícia Xavier. 

Todos os alunos a partir do 8ºsemestre têm acesso a sala virtual, mas segundo a aluna, a intenção é que a partir do próximo mês a sala esteja disponível para os demais. A estudante também conta que a ideia de iniciar o projeto partiu dos próprios alunos, que, com a aproximação da prova, refletiram sobre ser um momento em que os alunos se sentem pressionados e queriam ajudar uns aos outros.  

O Prof. Dr. Antonio Gilberto explica que os professores do curso sabem como toda a pressão de estágio, as provas finais, o trabalho de conclusão do curso e as provas para processos seletivos deixam a aprovação no exame mais difícil do que realmente é. “Os alunos do curso de Direito tiveram uma formação bastante ampla até agora, eles saem do curso mais do que bem preparados para o exame da Ordem. O problema é que a pressão do último ano faz com que grande parte dos alunos acabe se desesperando e não conseguindo atingir a pontuação mínima. É fundamental que o aluno saiba que os colegas do curso e os professores estão presentes para auxiliá-lo também nessa fase de sua formação", comenta o professor. 

“Essa ajuda, mais do que o conteúdo das disciplinas, acaba trazendo um conforto, um ombro amigo, que afasta um pouco a pressão da prova, acalmando o candidato. Assim, ele acaba fazendo a prova muito mais facilmente. A ideia do D.A. foi excelente, pois isso mostra ao candidato que os colegas estão presentes e que ele pode contar tanto com os professores do curso quanto com os amigos”, continua. 

O docente ainda ressalta que o aluno precisa dividir o tempo entre o estudo individual com a troca de ideias entre colegas e professores, pois isso é essencial para que o candidato consiga se acalmar e entender o mecanismo da prova. “A pandemia, de certa forma, facilitou a possibilidade do estudo solitário do aluno, mas, por outro lado, acabou quase totalmente com a troca de informação a respeito da prova. É fundamental criar formas para uma maior interatividade com os novos meios de estudo, pois, mesmo sem uma comunicação direta com os colegas, acaba preenchendo um pouco esse outro lado necessário na preparação”, explica. 

“É uma torcida dos alunos, professores e demais servidores do curso de Direito, para que todos os que prestarem o exame sejam aprovados”, finaliza o Prof. orientador do projeto. 

Bianca Guimarães
ACOM/UNITAU