UNITAU faz parceria com ITA para pesquisa sobre coronavírus

14/04/2021

Ciências Biológicas, Bolsa de estudo, Acontece, Pesquisa Científica, Odontologia, Coronavírus, Biossegurança

Pesquisadores do Programa de Doutorado em Odontologia da Universidade de Taubaté (UNITAU) iniciam, em abril, uma investigação científica  para  avaliar a contaminação de ambientes clínicos pelo SARS-CoV-2, causador da pandemia de covid-19.

A pesquisa deve levar até quatro anos e integra um amplo projeto de abrangência nacional coordenado pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), com a participação de  outras instituições de pesquisa.

Essas pesquisas foram viabilizadas pelo Programa estratégico emergencial de combate a surtos, endemias, epidemias e pandemias do governo federal, por meio de edital  disponibilizado pela Coordenação de aperfeiçoamento de pessoal de nível superior (Capes). A UNITAU foi beneficiada com a concessão de duas bolsas de doutorado e com a aquisição de materiais de pesquisa.

As articulações para o envolvimento da Universidade no projeto começaram em setembro do ano passado. Os protocolos para o desenvolvimento das atividades foram aprovados no início deste ano pelo Comitê de Ética em pesquisa humana da UNITAU.

Inicialmente, serão realizadas, em consultórios odontológicos da Universidade, avaliações de pacientes saudáveis e de pacientes que já tiveram covid-19. O objetivo desse segmento da pesquisa em Taubaté é identificar e quantificar o risco de contaminação nesses ambientes. Resultados preliminares devem ser divulgados até o final do ano.

“Os dentistas são submetidos a um grande risco nos consultórios pelo contato com os pacientes. As gotículas que um paciente expele pela boca são o principal vetor de transmissão do coronavírus”, afirma o coordenador-geral do Doutorado em Odontologia da UNITAU, Prof. Dr. José Roberto Cortelli.

Cortelli destaca o momento histórico para os pesquisadores e para UNITAU em poder colaborar com uma pesquisa nacional de relevância. “Esta é uma grande oportunidade para que nossas doutorandas possam desenvolver essa investigação científica”.

Além de Cortelli, a equipe da UNITAU é formada pela Profa. Dra. Priscila Christiane Suzy Liporoni e pela Profa. Dra. Laís Regiane da Silva Concílio.

Eles serão  responsáveis pelo desenvolvimento  da pesquisa, que terá na linha de frente duas bolsistas do doutorado: Isabelle Schalch e Maiara Rodrigues de Freitas.

“Vivemos um momento muito delicado. Poder, de certa forma, contribuir positivamente para a melhora da saúde das pessoas nessa pandemia é extremamente gratificante. Espero que os resultados da nossa investigação científica colaborem com o entendimento sobre os riscos de contaminação no ambiente odontológico”, destaca Isabelle.

Para Maiara, ações com embasamento científico representam um momento de esperança em meio a esse cenário de incertezas. “Nossa equipe de pesquisa é multidisciplinar e integrada. Tenho certeza de que novas descobertas sobre transmissibilidade e riscos ficarão bem evidenciadas e que conseguiremos trabalhar prevenção e, assim, ajudar a minimizar contaminações em ambientes clínicos odontológicos, o que hoje é de grande preocupação”.

O avanço da pandemia nacionalmente é uma preocupação constante. Já são mais de 13,6 milhões de casos confirmados e o número de mortes já supera a marca de 358,7 mil no Brasil. Taubaté encerrou o mês de março com um total de 24.276 casos positivos de covid-19 e com 384 mortes, conforme balanço divulgado pela Vigilância Epidemiológica. Adultos com idades entre 30 e 39 anos foram os que mais contraíram a doença no mês passado. Somente nessa faixa etária foram 1.144 novos casos, indica o balanço.

 

ACOM/UNITAU