Aluna de Biologia da UNITAU compartilha métodos que auxiliam na concentração nos estudos

10/02/2021

Aluno, Acontece, Ciências Biológicas, Biologia, Coronavírus, Pandemia, UNITAU

Dúvidas, dificuldades e um futuro incerto. Esse foi o cenário do primeiro semestre de 2020, devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. Mas o que para muitos foi sinônimo de transtorno, para outros foi uma oportunidade de persistir e de ter novas conquistas. Esse é o caso de Beatriz Cardoso Maia, que, assim como toda a população, foi pega de surpresa pela pandemia. Porém, a jovem não desistiu de seus sonhos e fez desse momento desafiador uma motivação para continuar e, assim, iniciou o curso de Ciências Biológicas na Universidade de Taubaté (UNITAU). “Eu não consigo colocar em palavras, mas a Biologia faz os meus olhos brilharem”, comenta.

Bia, como prefere ser chamada, nasceu em Minas Gerais, mas se mudou para São José dos Campos, onde vive há um bom tempo. Dentre as universidades que pesquisou, escolheu a UNITAU por ter recebido muitas recomendações positivas de seus amigos e familiares, por conta de sua tradição no ensino e pela sua infraestrutura. A jovem ingressou no curso quando o primeiro semestre já estava em andamento e teve de se adaptar à nova rotina. “Conheci minha turma primeiro pelo computador e depois pessoalmente (nas aulas práticas escalonadas)”, relembra Beatriz.

Mas, como muitos, Bia também teve um sentimento comum durante a pandemia, a vontade de desistir, pois o momento era muito desafiador e incerto, porém, quando ela desanimava, sua mãe a incentivava a não parar. “Ela me dizia: ‘Seja como o rio, que desvia das pedras. Obstáculo sempre haverá, mas você tem que aprender a lidar’”, pontua.

Como técnica de estudo, a jovem procurava focar nas disciplinas que tinha mais dificuldades, como, por exemplo, na área de exatas. Ela também comenta que se planejava para não perder os prazos de provas e entregas de trabalhos. A aluna utilizou várias estratégias nas aulas remotas, como o uso de post-it, marcadores de texto em palavras-chaves, fazia fichas de resumo, se reunia virtualmente com uma amiga para estudar e iniciou a técnica chamada “pomodoro”, que ajuda no gerenciamento do tempo e na divisão dos estudos. O método surgiu com a ideia de que pausas breves e frequentes podem aumentar a agilidade mental, então, utiliza-se um cronômetro ou um aplicativo para intercalar os estudos em períodos de 25 minutos, separados por pequenos intervalos.

Com o isolamento social, Bia precisou buscar novas formas de descansar e relaxar, e foi com essa busca que encontrou na arte uma forma de desenvolver novas habilidades e de se aprimorar. Nas horas vagas, a futura bióloga registra seus sentimentos e sua criatividade nas paredes de seu quarto, por meio de desenhos coloridos e expressivos. “Pintar e desenhar é a minha válvula de escape”, diz sorrindo.

Conheça o curso de Beatriz e os mais de 30 cursos disponibilizados pela UNITAU. A preparação de hoje fará toda a diferença amanhã.

O ensino nos une não importa a distância.

Linda Uberti

ACOM/UNITAU