Além da Universidade: Professor Porto e a luta contra a COVID-19

21/12/2020

Entrevista, Coronavírus, Além da Universidade, Professor, Docência, Engenharia Mecânica, Engenharia

Reconhecer o poder de transformação e o impacto positivo que todos podemos causar no mundo pode ser traduzido na capacidade de troca de quem está na Universidade com a sua comunidade. Dentre os diversos exemplos que podem exemplificar esse pensamento está a história do Prof. Dr. Fernando Silva de Araújo Porto, também conhecido como Prof. Porto, do Departamento de Engenharia Mecânica da UNITAU.

Para ele, é muito importante poder oferecer para outras pessoas ajuda por meio do conhecimento ao qual se dedica. Então, em março de 2020, no auge dos casos de coronavírus no Brasil, ao ver que poderia usar o seu conhecimento e os ensinamentos que leva para dentro das salas de aula para fazer a diferença e ajudar a comunidade de alguma maneira, inscreveu-se em um processo seletivo emergencial para atuar em hospitais federais específicos para o tratamento da Covid-19. E, em outubro, recebeu a informação de que passou para atuar no Hospital Escola de São Carlos.

Agora, ele atua em uma equipe de engenharia, responsável pelos equipamentos de estrutura para suporte e manutenção das áreas de linha de frente contra a Covid-19, como, por exemplo, a manutenção de elevadores e ar-condicionado para as áreas de UTI. Além disso, o professor também atua nos projetos de ampliação de alas de atendimento.

Para Porto, fazer parte desse projeto evidencia o que sempre buscou mostrar na sala de aula, que “apesar de os alunos acharem muitas vezes que estão aprendendo coisas que para a carreira que ele quer seguir não é importante, é nestes momentos que vemos o quanto é importante a dedicação e o processo de aprendizagem”, afirma o professor.

Fernando reforça o quanto é importante atuar tanto na sala de aula, capacitando pessoas que futuramente também farão a diferença, quanto também é importante atuar diretamente com a comunidade, em trabalhos que procuram melhorar a qualidade de rotina – neste caso, tanto dos pacientes dos hospitais, quanto dos profissionais que atuam lá. “A rotina e a realidade são pesadas de presenciar, mas fica mais fácil porque sei que tenho a consciência de que estou contribuindo para a vida de outras pessoas”, finaliza o docente.

Para o Professor Porto, assim como para outros professores, é muito importante reconhecer o papel que têm para transformar a vida de outras pessoas por meio do conhecimento e contar com o apoio da Universidade, de colegas e de alunos torna iniciativas como essa cada vez mais viáveis.

 

Ana Carolina Garcia
Foto: acervo pessoal
ACOM/ UNITAU