Professor da Clínica de Fisioterapia fala sobre carreira

26/06/2015

Graduado em Fisioterapia, em 1996, pela Universidade Metodista de Piracicaba, o Professor Doutor Renato José Soares exerce sua profissão de fisioterapeuta há 14 anos na Universidade de Taubaté (UNITAU). Renato ministra aulas vinculadas à fisioterapia ortopédica traumatológica e também supervisiona o estágio de fisioterapia ortopédica e traumatológica desportiva na clínica. "Você aprende muito com o aluno, isso me completa muito e a minha maior gratificação é ver um bom aluno formado e finalizando o tratamento que fez em um paciente." O docente está há 14 anos na Clínica de Fisioterapia (denso dez como chefe), exercendo sua profissão com a comunidade em geral junto com os seus alunos e comenta: "Eu aplico a Fisioterapia para os alunos, baseada em evidências científicas no atendimento ao paciente". Ele também ressalta: "Nós não formamos alunos tecnicistas, nós queremos, sim, um compromisso ético e um compromisso técnico, pautado na ciência." A clínica recebe uma demanda alta de pacientes que precisam de atendimentos. Os pacientes que não têm convênios médicos procuram a Prefeitura de Taubaté e são encaminhados para a Clínica. Lucas NascimentoACOM/UNITAU

Graduado em Fisioterapia, em 1996, pela Universidade Metodista de Piracicaba, o Professor Doutor Renato José Soares exerce sua profissão de fisioterapeuta há 14 anos na Universidade de Taubaté (UNITAU).

Renato ministra aulas vinculadas à fisioterapia ortopédica traumatológica e também supervisiona o estágio de fisioterapia ortopédica e traumatológica desportiva na clínica.

“Você aprende muito com o aluno, isso me completa muito e a minha maior gratificação é ver um bom aluno formado e finalizando o tratamento que fez em um paciente.”

O docente está há 14 anos na Clínica de Fisioterapia (denso dez como chefe), exercendo sua profissão com a comunidade em geral junto com os seus alunos e comenta: “Eu aplico a Fisioterapia para os alunos, baseada em evidências científicas no atendimento ao paciente”. Ele também ressalta: “Nós não formamos alunos tecnicistas, nós queremos, sim, um compromisso ético e um compromisso técnico, pautado na ciência.”

A clínica recebe uma demanda alta de pacientes que precisam de atendimentos. Os pacientes que não têm convênios médicos procuram a Prefeitura de Taubaté e são encaminhados para a Clínica.

Lucas Nascimento
ACOM/UNITAU