Professora fala sobre sua carreira de sucesso na Universidade

08/06/2015

A Profa. Dra. Ana Cristina de Araújo começou sua carreira na Universidade de Taubaté (UNITAU), em 1993. A professora estava disposta a retomar sua carreira profissional, já que acabara de voltar do exterior com sua família e, tendo conhecido a Instituição por meio de uma amiga, enviou um currículo e foi selecionada. Quando começou a lecionar na Universidade, ela era auxiliar na área de diagnóstico psicológico. Atualmente, Ana Cristina trabalha com psicodiagnóstico, coordena o estágio, os trabalhos de conclusão de curso e a Clínica de psicologia. "Escolhi essa disciplina porque, quando entrei na UNITAU, fui concursada nessa disciplina mesmo e também porque eu sempre gostei muito e acredito que, antes de você poder desenvolver um trabalho para melhorar a vida das pessoas, você precisa saber exatamente o que o indivíduo tem, e essa é minha função", conta a professora.   A professora acredita que um bom profissional tem de saber comunicar suas ideias, tem de se atualizar e, o mais importante, precisa ter um afeto com os alunos. Só assim ele vai saber com quem está lidando e, assim, conseguir transmitir todo o conhecimento que o professor tem. Atualmente, para a professora, a maior dificuldade que ela encontra em seu ambiente de trabalho é se adequar ao perfil de um aluno atual e também há a questão do acúmulo de trabalho. "O trabalho do professor não termina quando ele sai da Universidade, são pilhas de relatórios, pilhas de trabalhos, mas isso não me impede de fazer um bom trabalho," explica a professora. Ela diz que sente um amor muito grande em trabalhar na Universidade e que se sente realizada. "Eu tenho um profundo amor pela UNITAU, foi a Instituição que me acolheu e me ensinou muito. Eu aprendi muito aqui na UNITAU. Eu posso dizer que cresci profissionalmente e teoricamente também", finaliza Ana Cristina. Luciana OliveiraACOM/UNITAU  

A Profa. Dra. Ana Cristina de Araújo começou sua carreira na Universidade de Taubaté (UNITAU), em 1993. A professora estava disposta a retomar sua carreira profissional, já que acabara de voltar do exterior com sua família e, tendo conhecido a Instituição por meio de uma amiga, enviou um currículo e foi selecionada.

Quando começou a lecionar na Universidade, ela era auxiliar na área de diagnóstico psicológico. Atualmente, Ana Cristina trabalha com psicodiagnóstico, coordena o estágio, os trabalhos de conclusão de curso e a Clínica de psicologia.

"Escolhi essa disciplina porque, quando entrei na UNITAU, fui concursada nessa disciplina mesmo e também porque eu sempre gostei muito e acredito que, antes de você poder desenvolver um trabalho para melhorar a vida das pessoas, você precisa saber exatamente o que o indivíduo tem, e essa é minha função", conta a professora.

 

A professora acredita que um bom profissional tem de saber comunicar suas ideias, tem de se atualizar e, o mais importante, precisa ter um afeto com os alunos. Só assim ele vai saber com quem está lidando e, assim, conseguir transmitir todo o conhecimento que o professor tem.

Atualmente, para a professora, a maior dificuldade que ela encontra em seu ambiente de trabalho é se adequar ao perfil de um aluno atual e também há a questão do acúmulo de trabalho. “O trabalho do professor não termina quando ele sai da Universidade, são pilhas de relatórios, pilhas de trabalhos, mas isso não me impede de fazer um bom trabalho,” explica a professora.

Ela diz que sente um amor muito grande em trabalhar na Universidade e que se sente realizada. “Eu tenho um profundo amor pela UNITAU, foi a Instituição que me acolheu e me ensinou muito. Eu aprendi muito aqui na UNITAU. Eu posso dizer que cresci profissionalmente e teoricamente também”, finaliza Ana Cristina.

Luciana Oliveira
ACOM/UNITAU